Pilates e reabilitação é um assunto novo no blog,  já falamos várias vezes sobre o pilates e condicionamento físico, mas assim como a musculação, também pode ser usado na reabilitação. O pilates na reabilitação é uma ferramenta usada pelos fisioterapeutas que pode ser associado com outras técnicas, dependendo do caso.

O método Pilates ganhou popularidade nos últimos anos nas academias e estúdios no Brasil e no mundo.
A medida que novos benefícios foram sendo mostrados e estudados, o método foi sendo aplicado para reabilitação de diferentes disfunções do corpo.
Nesta primeira parte vou apresentar o método Pilate

Como surgiu o método pilates

Joseph Pilates nasceu na Alemanha em 1883 em uma família de classe média. Na infância sofreu de asma, bronquite e até raquitismo. Durante a adolescência limpava o jardim de um vizinho a troco de estudar em sua biblioteca particular. Tornou-se autodidata em física, anatomia, biologia e fisiologia prevendo seu futuro doente e em uma cadeira de rodas. Foi boxeador, atleta de circo, ginasta e mergulhador, ganhando músculos e levando uma vida saudável a fim de se curar.

Durante a Primeira Guerra Mundial, ficou recluso no campo de concentração de Lancaster, em Londres. Lá atuava como enfermeiro e começou a desenvolver exercícios para se manter, e manter seus companheiros saudáveis (em 1918, a gripe espanhola matou milhares de ingleses e nenhum dos enfermos cuidados por Joseph foi a óbito, mais tarde ele atribui esse caso aos exercícios e vida saudável que implantou no campo de concentração). Utilizou camas do hospital, cintos, molas e lastros para fortalecer enfermos acamados. Aí já surgiam os primeiros protótipos dos aparelhos que conhecemos hoje.

Após o fim da guerra retornou a Alemanha e incrementou os exercícios criados por ele, sendo procurado por dançarinos famosos e até campeões de boxe para treinamento através de seu método. Foi convidado para treinar a força policial de uma cidade alemã, mas escolheu imigrar para os Estados Unidos para estudar e difundir sua técnica de treinamento.

Conheceu uma enfermeira americana, falou de seu método, se interessou pelas idéias de vida saudável dela e logo ao chegar aos EUA abriram junto uma pequena academia, que chamaram de estúdio, com aqueles aparelhos e máquinas criados por ele. Mais tarde os dois acabaram se casando.

Velozmente o estúdio atraiu a atenção de pessoas influentes na cidade, como Ruth St. Denis, Ted Shwn, Martha Graham (professora, bailarina e coreógrafa pioneira da dança moderna) e George Balanchine (fundador da School of American Ballet e diretor da Companhia que viria a ser o New York City Ballet, como é conhecido atualmente).

Desenvolveu cerca de quinhentos exercícios que o ajudaram a levar uma vida longa e saudável, através de conhecimentos de ioga, meditação, medicina tradicional chinesa e todos os esportes que ele conhecia.

 

O que é o método pilates?

Pilates Power House

Pilates Power House

O método caracteriza-se por uma série de exercícios físicos, os quais buscam a harmonia entre o corpo e a mente, e têm sua origem no chamado estudo do controle ou contrologia (leia mais sobre contrologia aqui: parte 1, parte 2, parte 3, parte 4, parte5).  Isto é, é um treinamento físico e mental, que melhora a consciência corporal por trabalhar o corpo como um todo.

Pilates configura-se pela tentativa do controle dos músculos envolvidos nos movimentos da forma mais consciente possível.

Os exercícios que compõem o método envolvem contrações isotônicas (concêntricas e excêntricas) e, principalmente, isométricas, com ênfase no que Joseph denominou power house (ou centro de força). Este centro de força é composto pelos músculos abdominais, glúteos e paravertebrais lombares, que são responsáveis pela estabilização estática e dinâmica do corpo.

A filosofia do método Pilates é baseado em alguns princípios:

  • O Centro: também chamado de ?Power house?. Preconiza-se o reforço desse centro para promover a sustentação da coluna, dos órgãos internos e manutenção de uma boa postura;
  • Controle: o controle na execução de cada movimento alcança a harmonia da atividade motora, aprimorando também a coordenação motora.
  • Concentração: a execução dos movimentos deve ser realizada mantendo total concentração no centro de força, além de observação atenta de cada movimento necessário para a realização dos exercícios, para que se obtenha uma boa conscientização corporal;
  • O Movimento: os movimentos realizados durante a execução de cada exercício devem respeitar a fluidez e a harmonia entre articulação, músculos e postura;
  • Precisão: a precisão está diretamente ligada ao controle. Concentrando-se em cada etapa do movimento e conhecendo o corpo, é possível desenvolver o controle necessário para se obter a precisão de cada movimento;
  • Respiração: Pilates enfatiza a importância de manter os níveis de oxigenação da circulação sanguínea. Este é o resultado de uma respiração adequada durante os exercícios, oxigenando o sangue e eliminando os gases nocivos. No Método Pilates todos os exercícios são associados à respiração.

Os exercícios são realizados em aparelhos desenvolvidos pelo próprio Joseph (Cadillac ou Trapézio, Reformer, Wall Unit, Barrel, Cadeira Combo, bem como seus respectivos acessórios), em solo (conhecidos com Mat Pilates) e/ou com auxílio da Bola Suíça (Bobath) ou acessórios como rolo ou elásticos. Os aparelhos utilizam molas como instrumentos de assistência e resistência a cada movimento e através deles é possível trabalhar todos os músculos do corpo, em todos as posições.

As aulas de Studio podem ser individuais ou em pequenos grupos de 3 a 5 pessoas. As aulas de Mat normalmente são em grupo e estão nas grades de horários de inúmeras academias.

Na próxima semana vou mostrar as aplicações, benefícios, reabilitação através do método Pilates e um pouco sobre as aulas.

Para ler sobre pilates e condicionamento físico clique aqui.

Por: Ft. Renata Poliche

Questões sobre esse post devem ser enviadas para: renatapoliche@gmail.com