No início de setembro teremos mais uma eleição para Conselheiros do CREF (Conselho Regional de Educação Física), em todas as regiões. Depois de conversar com alguns colegas e observar opiniões em redes sociais, optei por escrever esse texto como uma forma de desabafo e também de posicionamento quanto ao tema eleições.

Vinte anos após a regulamentação da profissão, existe uma parcela dos Profissionais de Educação Física que ainda é contra o sistema CONFEF/CREFs, inclusive com movimentos organizados, cuja principal alegação é que o sistema não garante o emprego, nem dá garantias trabalhistas. Nenhum conselho, de nenhuma profissão faz isso.

Em entrevista que fiz em 2013, respondida pelo Dr. Anderson Cadan Fonseca, procurador do Depto. Jurídico do CREF4, foi explicado que: “O Sistema CONFEF/CREFs possui como finalidade a regulamentação e fiscalização da profissão da Educação Física, qualquer atividade que ultrapasse essas finalidades pode caracterizar irregularidade na gestão do Conselho.” Em seu estatuto, no Capítulo I, no Art. 2º  diz: O CREF4/SP é órgão de representação, normatização, disciplina, defesa e fiscalização dos Profissionais de Educação Física, bem como das Pessoas Jurídicas prestadoras de serviços nas áreas de atividades físicas, desportivas e similares, em prol da sociedade, atuando ainda como órgão consultivo.

Ou seja, basicamente o sistema garante, aos profissionais que se dedicaram a estudar, que somente aqueles graduados em Educação Física poderão exercer a profissão e garante à população a qualidade dos serviços prestados. Essas são algumas de suas  finalidades, outra bem importante também, é a de zelar pelo bom nome da categoria.

Tendo, desta forma, a compreensão da importância da instituição chegamos ao passo seguinte: quem vai gerir isso tudo. Quem vai garantir os interesses dos profissionais e da sociedade, que se utiliza de um serviço extremamente relevante em termos de saúde pública e educação?

A resposta é: nós, Profissionais de Educação Física. Embora pareça simples, é na pratica que as dificuldades aparecem. Nas eleições deste ano, em 14 das 20 regiões  teremos chapa única, isso representa 70%, e por esse motivo muitos profissionais acreditam ser perda de tempo votar.

Eleições CREF 2018

Eleições no CREF 2018

Clique aqui para conhecer a Escola Online de Negócios Fitness

Votar, mesmo havendo chapa única, é importante por um motivo: você poderá se candidatar nas próximas eleições. Isso é importantíssimo, principalmente para aqueles que estão insatisfeitos com a gestão do CREF da sua região, pois essa é a única oportunidade que você tem de parar de reclamar e colocar a mão na massa, sendo um representante da sua área de atuação dentro do CREF.

Assisti à um vídeo feito pelo Prof. Saturno de Souza, Diretor de Educação Corporativa da Rede Bio Ritmo/Smart Fit, no qual explica que o setor do Fitness, em São Paulo, não tinha representatividade no CREF4 e isso o motivou a participar da últimas eleições. A chapa não foi eleita, mas foram convidados a trabalhar junto com a chapa vencedora e para a eleição de 2018 montaram  chapa única, com cinco representantes do mercado fitness. Bom para o fitness, bom para as academias e para os profissionais que atuam nela. Mas e o setor que você atua, está representado?

Ter chapa única pode ser sinal que estão todos satisfeitos em em sintonia com as propostas, mas pode ser sinal de preguiça de acomodação, de descaso. Eu acho a segunda opção mais provável.

Observo que essa preguiça em ser ativo, em participar, não é um privilégio da nossa profissão, ela acontece em outros setores. No condomínio que eu moro, a gestão foi feita por um mesmo grupo por anos, na última eleição conseguiram às duras penas mudar, ainda assim faltam candidatos aos conselho. O que falar então das próximas eleições para o executivo e o legislativo no nosso país? A maioria clama e reclama por algo novo, mas quantos se dispuseram a colocar a cara para bater?

Eu faço mea culpa, pois não sou candidata à nada, mas na condição de eleitora posso e devo cobrar que melhorias sejam feitas. E posso também tirar os glúteos da frente do teclado e tentar fazer a diferença caso aqueles em que depositei minha confiança não tiverem competência para fazer. Porque só reclamar não leva à lugar nenhum.

Encerro minhas reflexões com uma frase usada pelo Prof. Saturno por ocasião da publicação do vídeo, uma frase do historiador Arnold Joseph Toynbee, que resume tudo o que eu gostaria de falar sobre eleições: “O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam.”