Portal Fique Informa

Tipos de Exercício: aeróbio e anaeróbio

Anaeróbio

É um sistema que produz energia a partir das reserva de ATP-CP* musculares (no caso de exercícios intensos e de curta duração -imediato) e pela *glicólise (nos exercícios um pouco mais longos – a curto prazo). São exemplos de exercícios anaeróbios: provas de velocidade em natação e corrida (100m), levantamento de peso, ginástica olímpica. Esse sistema é que garante os movimentos diários, pois utiliza fontes de energia que estão armazenadas no músculo e disponíveis para utilização imediata e também os carboidratos. Desta forma concluímos que toda atividade aeróbia inicia-se anaerobiamente.

*ATP: Forma abreviada da molécula que é produto final do metabolismo dos alimentos. É a principal fonte de energia, mas é limitada e deve ser continuamente reciclada dentro da célula.

CP: Forma abreviada de um composto fosfato rico em energia. Os estoques de creatina fosfato são resistetizados pelo músculo a partir de três aminoácidos: glicina, arginina e metionina.

Glicólise: quebra da glicose

Aeróbio

É um sistema que produz energia a partir do O². A principal característica deste tipo de exercício é a intensidade baixa ou moderada e a duração longa (longo prazo). São exemplos de atividades aeróbias as maratonas, natação de longo percurso ou qualquer atividade que não sofra interrupção. Tem-se por hábito dizer que as atividades aeróbias são aquelas que duram no mínimo 30 min, mas dependendo da pessoa isso pode não ser verdade. Então como saber???

A atividade é aeróbia enquanto a captação de oxigênio permanecer relativamente estável. Teoricamente ao atingir esse ritmo estável as pessoas poderiam fazer exercícios por tempo indeterminado. Contudo existem outros fatores que contribuem para diminuir a captação de oxigênio e a principal delas e a depleção de glicogênio muscular. Existem testes onde é possível detectar em que momento do exercício a captação tornou-se estável e quando começam a diminuir. São os testes de Ergoespirometria (verifica o VO2 máx) e de Lactato.

Durante a atividade aeróbia os lipídeos irão contribuir para suprir as necessidades energéticas do músculo, preservando o glicogênio muscular, portanto é a atividade mais indicada para a diminuição da gordura corporal. Os fatores mais importantes para a utilização das gorduras como substrato energético são a presença de oxigênio e um alto nível de utilização dos carboidratos.

Com o passar do tempo, a captação de O2 fica diminuída e o organismo opta por utilizar a glicose ou o glicogênio como fonte de energia. Desta forma ocorre a resíntese de ATP, contudo a concentração de ácido lático** aumenta. O resultado disso é que os músculos tornam-se fadigados obrigando a interromper o exercícios minutos depois. Por isso indivíduos com baixo condicionamento físico podem não conseguir realizar uma atividade initerruptamente por 30 min! Em geral utilizamos todas as fontes energéticas tendo predomínio de uma sobre a outra dependendo principalmente do tempo e da intensidade do exercício.

** Ácido Lático: subproduto “tóxico” gerado na ressíntese de ATP.

Sair da versão mobile