Portal Fique Informa

Aula de abdominal funciona? Acabamos com a dúvida!

Uma das aulas mais cheias e concorridas nas academia nos anos 1990 e 2000 era a Aula de Abdominal. Com 30 minutos de duração, atraiam homens e mulheres em busca de uma barriguinha sarada, de preferência “tanquinho”, mas será que realmente esse tipo de aula dá resultado?

Em uma aula de abdomianl, descontando o tempo do aquecimento e da volta a  
calma, usando uma música de aproximadamente 130 bpm, é possível fazer cerca de 1700 flexões de tronco, se trabalharmos na velocidade da música. Ou seja, 1700 abdominais! É bastante coisa…mas será que funciona?

Aula de abdominal realmente funciona?

Clique aqui e inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Leia também: Como fazer exercícios de prancha

A musculatura esquelética é fisiologicamente igual em qualquer parte do corpo, isso significa que responde ao exercício da mesma forma.

Agora pense comigo: vamos exercitar o bíceps. Vamos pensar apenas nos exercícios em que ele trabalha como agonista primário (principal responsável pelo movimento) em um treino para nível intermediário/avançado, cujo objetivo é hipertrofia. Para facilitar os cálculos todas as séries terão a mesma quantidade de repetições.

Ficamos assim:

Se o bíceps precisa de 100 repetições para se desenvolver, porque o abdômen precisaria de 1700?

Agora você deve estar falando assim: Ah, mas os objetivos são diferentes, na aula de abdominal treina-se resistência e o exemplo do bíceps foi hipertrofia.

Ok! Está certo, então vamos ao treino de bíceps para resistência, nível intermediário.

Ainda assim representa menos de 10% da quantidade feita na aula.

Se todos os músculos respondem da mesma forma e precisamos de pouco mais de 100 movimentos para fortalecê-los, porque a aula de abdominal existe?

Se não precisamos de tantos abdominais, fazê-los nessa quantidade traz algum prejuízo?

A fadiga gerada em uma aula com tantas repetições para um mesmo músculo pode prejudicar a execução do movimento. Um movimento mal executado pode levar à lesões musculares e articulares.

Iniciantes não conseguem acompanhar a aula. Com poucos minutos os ombros não saem mais do chão e a sobrecarga no na cervical é grande, gerando dores no pescoço.

E então, essa aula funciona?

Para alguns pode até funcionar, mas essa não é a questão, é uma aula desnecessária.

Se você pode conseguir os mesmos resultados fazendo menos de 10% dos movimentos, em poucos minutos, porque vai ficar sofrendo durante 30 minutos?

Agora chegou a hora de você falar:

– Na aula eu sinto pegar, quando faço meu treino não.

Eu eu digo:

– Reveja seu treino, com certeza não é a aula de abdominal que é boa, seu treino é que está ruim!

Um dos maiores desafios para os professores é escolher um exercício abdominal que se adeque ao aluno. Com os outros exercícios basta manipular com a carga, nos abdominais é preciso uma boa dose de conhecimento de biomecânica para tornar o exercício mais pesado.

Eu dei aulas de abdominal, pois precisamos dançar conforme a música, mas todos os meus alunos sabem que ela é desnecessária e aproveito para ensiná-los como tornar os abdominais mais desafiadores. Minha esperança é que aos poucos as pessoas aprendam e desistam dessa aula e isso de fato vem acontecendo, assim, quem sabe um dia desapareçam das academias. 

Texto originalmente publicado em 11 de dezembro de 2010

Sair da versão mobile