É cada vez mais frequente pessoas que perguntam o que fazer para não passar mal na academia. É difícil responder individualmente, pois são inúmeros fatores que podem causar desconforto e fazer com que passem mal, mas vou tentar reunir aqui, as principais causas.

Antes de começar é preciso lembrar que estou considerando que o desconforto não é causado por qualquer doença, ou seja que a pessoa passou por um exame médico prévio e está liberada para fazer exercícios.

passar-mal-na-academia

7 dicas para não passar mal na academia

Leia também:

Porque sinto mal-estar e tontura na academia?

1- Não treine em jejum. Treinar em jejum, ou com espaço muito grande entre as refeições, pode causar enjôos e tontura. Isso se deve à queda da taxa de açúcar que está circulando no sangue, que pode levar à uma hipoglicemia.

2- Não coma muito antes de treinar. Treinar de estômago cheio, pode fazer você passar mal na academia causando muito desconforto com dores abdominais, fraqueza, enjôo e vômitos. Quando estamos de estômago cheio e fazemos exercícios acontece a congestão. O sangue que deveria estar irrigando o estômago e intestino para digerir os alimentos é desviado para os músculos que estão sendo exigidos, fazendo com que o processo de digestão seja interrompido.

3- Não coma alimentos de rápida absorção imediatamente antes e durante o exercício. Se você está sem se alimentar e vai treinar evite alimentos de rápida absorção (alto índice glicêmico) imediatamente antes de treinar, pois eles podem causar o rebote hipoglicêmico. Embora não aconteça com todas as pessoas, ele causa tontura, fraqueza e ânsia de vômito.

De forma simplificada, quando treinamos nosso corpo vai buscar o açúcar disponível para transformar em energia, fazendo com que a taxa de açúcar (glicemia) fique baixa. Se você está há muito tempo sem se alimentar, isso pode causar hipoglicemia (como explicado no item 1). Ao ingerir um alimento de alto índice glicêmico, a taxa de açúcar no seu sangue irá subir rapidamente, em contrapartida seu corpo irá liberar muita insulina para controlar essa alta repentina, fazendo com que aconteça outra queda brusca das taxas de açúcar, levando a uma hipoglicemia ainda pior do que a primeira.

4- Hidrate-se. A desidratação pode causar dor de cabeça, tontura, cansaço, vertigens e cãibras. A sede é o primeiro sinal de desidratação.

5- Use roupas adequadas à temperatura. Usar roupas de inverno em locais quentes, ou sacos plásticos enrolados no corpo, podem causar desidratação e todos os seus sintomas.

6- Treine em local arejado e bem ventilado. Ambientes quentes e úmidos favorecem o aumento da temperatura corporal e por consequência a desidratação.

7- Verifique sua pressão arterial. Se você se alimentou corretamente, está hidratado e com roupas adequadas e mesmo assim está passando mal, verifique sua pressão arterial. A hipotensão, ou pressão baixa, causa vertigem, visão turva e desmaios. Ela pode acontecer por vários motivos, um deles é a desidratação.

Passar mal pode ser reflexo do exercício intenso

Algumas pessoas relatam que não se encaixam em nenhum dos exemplos dados nas dicas acima e mesmo assim passam mal. Isso pode acontecer pela alta intensidade do exercício, principalmente porque esse tipo de exercício (HIIT) se tornou uma grande febre atualmente.

As pessoas que treinam intensamente devem ter atenção redobrada com a alimentação e a hidratação. Mesmo aquelas que acreditam estarem bem alimentadas para treinar, pode não estar sendo o suficiente e por isso estão passando mal. As altas temperaturas dos locais de treinamento, somados ao esforço intenso podem requerem um cuidado extra com a hidratação.

Minha recomendação é que busque a ajuda de um nutricionista que irá montar um cardápio adequado às necessidade de um treinamento intenso.