A aula de Ginástica Localizada é uma das mais tradicionais aulas de academia. Nascida em meados da década de 80, chegou como uma alternativa ou complemento às aulas de Ginástica Aeróbica e permanece até hoje. Um clássico das academias.

De acordo com Guiseline (1994), um dos primeiros professores a atuar com a Ginástica Localizada no Brasil, a função dos exercícios localizados é melhorar a força e a resistência dos principais grupos musculares.

Trocando em miúdos a Ginástica Localizada é aquela aula feita com pesinhos. Os benefícios são muitos melhora a força e a resistência muscular, melhora a postura, deixa o corpo mais torneado, mais durinho.

Profa. Paloma – Projeto Academia

Cerca de 25 anos se passaram e as aulas de Ginástica Localizada continuam resistindo na grade de horários das academias. Entra moda, sai moda e ela continua lá, há quem não a troque por nada, mas muita coisa mudou no decorrer desses anos.

Não se faz mais uma quantidade interminável de repetições do mesmo exercício e nem a maioria dos alunos usa apenas halteres e caneleiras leves. O avanço científico na Educação Física nos proporciona hoje aulas muito mais dinâmicas, onde os exercícios são divididos em séries muito mais curtas o que possibilita a manipulação das cargas. Estratégias usadas na sala de musculação foram trazidas para a sala de ginástica, tornando a aula também mais eficaz.

O surgimento de novos implementos também enriqueceu muito a aula de Local. Antes restritos aos halteres e caneleiras, quando muito uma medicine ball e um bastão, atualmente os professores contam com steps, jumps, barras e anilhas, bolas de diversos tamanhos, tubos e bandas elásticas. Tornando as aulas mais atrativas e diversificadas, as combinações são infinitas, depende da criatividade do professor.

Geralmente em uma aula trabalha-se 11 grupos musculares:

  1. Peitorais
  2. Dorsais (costas)
  3. Bíceps (braço)
  4. Tríceps (braço – tchauzinho)
  5. Ombros
  6. Quadríceps (coxa – frente)
  7. Posteriores da coxa (coxa – atrás)
  8. Adutores (coxa – interna)
  9. Abdutores (coxa – externa)
  10. Panturrilha (batata da perna)
  11. Abdominais (barriga)

A ordem vai depender da estratégia usada pelo professor. Em algumas academias é feita um periodização, os grupos musculares são divididos em A e B e trabalhados em dias diferentes. Há vantagens e desvantagens em utilizar esse sistema, mas irei abordar o assunto em outro post.

Eu ví a Ginástica Localizada nascer, fui aluna, acompanhei sua evolução e há anos trabalho com essa modalidade. Minhas aulas tem um público predominantemente feminino. Apesar de adorar ministrá-la prefiro fazer musculação. E você? Conte a sua experiência!