Escrevo neste blog sobre muitos assuntos, mas nunca pensei que alguém pudesse ter esse tipo de dúvida. Pois bem, a leitora Aparecida, no post Aula de Jump: mitos e verdades, relata que faz aula de jump há algum tempo, que é apaixonada pela modalidade e que gostaria de saber o que precisa fazer para dar aulas em academia. A leitora Patrícia também pede dicas em Aulas de Jump: vamos pular!!!.

Vale lembrar que para quem frequenta academias parece muito simples ser professor de ginástica. Uma música legal, disposição, contar até 8, soltar um “uhu” de vez em quando e pronto! Ledo engano, isso aí também faz parte, mas é apenas um pedacinho de nada, o caminho para se tornar professor de ginástica é mais longo do que você imagina.

group_fitness

Como outras pessoas podem ter o mesmo desejo da Aparecida aqui vão algumas dicas de quem trabalha na área há quase 10 anos.

  1. É preciso fazer um curso superior em Educação Física e ter título de Bacharel. Sim, sem fazer faculdade não é possível dar aulas de ginástica em academia. Desde 01/09/1998 foi regulamentada a Educação Física no Brasil e a partir de então para ministrar aulas de qualquer tipo de exercício ou atividade física é preciso ser formado e registrado no conselho regional. (Saiba mais no site do CONFEF)
  2. É desejável ter alguma vivência na área. Ter frequentado aulas de ginástica ajuda muito.
  3. É desejável fazer um estágio na área. O CONFEF determina que este poderá ser feito a partir do quinto semestre da faculdade (saiba mais aqui). Grandes redes de academia costumam realizar seletivas anuais para estagiários, os candidatos que passam vão para um programa de treinamento antes de começarem a estagiar. Aprende-se muito nesses programas, é como se fosse um curso, só que você não paga nada por ele. Fique ligado, cadastre-se no “trabalhe conosco” das grandes redes.
  4. Fazer cursos de extensão universitária de modalidades de ginástica ajuda a compor seu currículo. Escolha aqueles que você tem mais afinidade. Esses cursos podem ser encontrados nos encontros e congressos de fitness. Algumas faculdades como a FMU e a Gama Filho oferecem curso durante o ano todo.
  5. Participe de congressos de fitness, neles além de poder fazer diversos cursos, você terá contato com as novidades do mercado. O maior deles é o Fitness Brasil.
  6. Se você tem dificuldade em montar aulas compre livros e DVD’s. Monte pelo menos duas aulas de cada modalidade e decore-as, na emergência você estará seguro em usá-las.
  7. A música é fundamental nas aulas de ginástica. Os CD’s são específicos, mixados. Para comprá-los converse com um professor conhecido que lhe indicará o DJ que faz os CDs que ele usa.
  8. Aprenda a ministrar pelo menos três tipos de aula. No mínimo uma aeróbia (jump, step, aero-lutas, bike, dança aeróbica, etc) e uma neuromuscular (localizada, abdominais, GAP). Isso facilita na hora de ser contratado.
  9. Se desejar opte por fazer algum programa pré-coreografado. Particularmente eu não gosto, prefiro montar minhas aulas, mas há muitas academias que exigem pelo menos um programa. Existem dois no mercado: Body Systems e Fit Pro.
  10. Não economize no seu material de trabalho (microfone, cd’s, banco de gel e sapatilha para aula de bike, roupa e tênis adequados), sua saúde e sua performance dependem deles. Esteja sempre preparado, as oportunidades aparecem quando menos esperamos por ela.